nabocadanoite.com.br
Seja bem vindo
Problema em bomba de adutora deixa 6 cidades sem água

As cidades de Campo Grande, Triunfo Potiguar, Messias Targino, Janduís, Patu, Paraú e a serra de João do Vale estão com o abastecimento suspenso nesta sexta-feira (14). A parada foi provocada por um problema eletromecânico em bomba de captação da Adutora Médio Oeste.

A previsão é que o conserto seja concluído na tarde deste sábado (15), com a retomada imediata do funcionamento do sistema. Para que o fornecimento esteja completamente normalizado, é necessário aguardar um prazo de até 48 horas a partir da retomada.

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

Governo do RN inicia pagamento de janeiro neste sábado

O pagamento de salários no ano de 2022 seguirá o mesmo modelo de 2021, com o adiantamento dos proventos já na metade do mês para ativos, inativos e pensionistas da categoria da Segurança Pública e para quem recebe até R$ 4 mil (valor bruto), além do adiantamento de 30% para quem recebe acima desse valor. Dessa forma, o Governo do RN inicia o ano de pagamentos salariais neste sábado (15) e concluirá no próximo dia 31, quando recebem o salário integral os servidores lotados em pastas com recursos próprios e os 70% restantes de quem recebe acima de R$ 4 mil.

Mais de metade do quadro geral de servidores estaduais receberá o salário integral neste sábado, e outros 33 mil terão seus salários adiantados em 30%. O Governo já aquece a economia potiguar com depósito de R$ 250 milhões na segunda quinzena do mês. A conclusão da folha de R$ 480 milhões também será paga dentro do mês trabalhado. A expectativa para 2022 é que se repita o feito de 2021 e o Governo pague 14 folhas salariais, sendo as 12 do mês, o décimo terceiro de 2022 e a última dívida deixada pela gestão passada, referente a dezembro de 2018.

A quarta e última folha do passivo herdado, no valor de R$ 316 milhões, será quitada até maio de 2022, com pagamento iniciado em 31 de janeiro, e com mais duas parcelas pagas em março e maio, totalizando uma herança de aproximadamente R$ 1 bilhão de salários atrasados deixados pela última gestão. A faixa salarial para ordem de pagamento dessa dívida ainda será definida e anunciada em breve.

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

O que a gestão Allyson Bezerra tenta tanto esconder?

 

* Márcio Alexandre

 

Transparência é um dos principais pilares da gestão pública. Erigida sob o princípio constitucional da publicidade, significa que é obrigação do gestor dar ciência aos munícipes, de forma clara, objetiva e direta, dos atos públicos dele emanados.

Ser transparente não é apenas fazer lives dizendo que está criando esse ou aquele projeto. Não é invadir salas de cirurgias para dizer que reativou serviços. Muito menos encher as redes sociais com a presença desse ou daquele gestor acompanhando uma obra. Pequena ou faraônica. Vai muito além disso. Aliás, esse tipo de espetáculo com luzes feéricas, “cega mais do que ilumina”.

Em Mossoró, os atos de propaganda do governo municipal mais parecem ter a mais a intenção de vender mentiras do que revelar verdades. As questões mais importantes e, portanto, de maior interesse público, são tratadas a 7 chaves pela gestão Allyson Bezerra (Solidariedade). Esse “cofre” quase inatingível só é aberto ao bel-prazer do gestor. Mesmo cobrado pela imprensa, o prefeito se negar a revelar aquilo que por obrigação, precisa mostrar aos mossoroenses.

Quando questionada pela imprensa por algo mais sério, a gestão Allyson usa uma estratégia, pequena, rasteira, absurda, lamentável, criticável, que é a de fazer esperar. Tentar vencer pelo cansaço.  Fazer com que esqueçamos.

A gestão Allyson Bezerra tem alguns dos melhores jornalistas de Mossoró e do Rio Grande do Norte. Profissionais gabaritados. Sérios. Honrados. Capazes. Mesmo com assessores dessa envergadura, dificilmente a gestão consegue dar uma resposta à imprensa com um tempo razoável. É exigir muito que uma gestão dê em duas, três horas, uma resposta a algo simples? Na prefeitura de Mossoró, não se responde à imprensa, nada, que não seja com pelo menos um dia de espera. E estou sendo gentil.

Uma gestão que se diz moderna, que diz ter agilizado os fluxos dos processos, que garante ter informatizado toda a máquina, que propala ter reduzido a burocracia, não consegue responder, por exemplo, quantos atendimento uma empresa contratada para atuar na Saúde, vai oferecer por mês.

Se pedimos o posicionamento da prefeitura sobre uma denúncia de um fato que toda a cidade já sabe, a espera nunca é inferior a meio dia. É como se a gestão nunca soubesse nada daquilo que ela teoricamente está cuidando. Ou pelo menos deveria estar.

Vou citar os dois últimos casos para o leitor ter uma noção do quanto a gestão Allyson Bezerra é uma farsa em se tratando de comunicação dos seus atos. O prefeito faz questão de divulgar as coisas apenas por meio de seus canais porque só divulga o que tem interesse e não aceita ser incomodado. Típico de autoritários.

Na sexta-feira passada, 7 de janeiro, o Blog Na Boca da Noite apresentou duas demandas aos jornalistas que assessoram a gestão Allyson Bezerra. Uma da área da Saúde e outra da Educação. Na primeira situação, buscávamos o posicionamento da gestão sobre denúncias de situação de casos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alto de São Manoel. Depois de muita insistência nossa, recebemos uma nota da prefeitura na segunda-feira, 10 de janeiro. Veja só: a prefeitura levou mais de 70 horas apenas para negar aquilo que já de conhecimento da maioria.

A demanda da Educação, mais simples, apenas respostas a alguns questionamentos, também apresentada na sexta-feira, e segue sem retorno do município. Como trata-se de um assunto que interessa a toda a sociedade, temos insistido. Buscar incessantemente informações que são de interesse público não gera constrangimento, mesmo que o assessor se recuse a receber suas ligações, não responda a suas mensagens, lhe diga que vai retornar em instantes e “lhe esqueça”. Tem sido assim com essa demanda da educação.

Fizemos as seguintes perguntas à Secretaria Municipal de Educação (SME), via assessoria de comunicação:

Qual o entendimento hoje da SME em relação ao reajuste do Piso Salarial do Magistério:

a) Concorda com o percentual de 33,23%?

b) Pediu estudos de impacto econômico à equipe econômica do município?

c) Vai cumprir à integralidade? Se sim, a partir de quando?

d) Vai parcelar? Se sim, em quantas?

e) Pretende convocar o sindicato da categoria para negociar? Se sim, quando?

Percebam, o percentual já está definido há quase um mês e a gestão Allyson Bezerra segue silente fingindo que não tem nada a ver com o tema. Covardia é um adjetivo simpático para classificar o suposto

Hoje, uma semana insistindo com o assessor sobre as respostas – e depois de termos ligado reiteradas vezes para a secretária da Educação, Hubeônia, Alencar e ela tendo se recusado solenemente a atendê-las – o jornalista respondeu: “entraremos em contato quando tivermos as informações”. Uma resposta que mostra o quanto a gestão Allyson Bezerra é uma farsa, uma mentira, uma enganação, uma empulhação. São artifícios que a gestão utiliza para que a população não tenha acesso às políticas, aos serviços, e às informações. E ainda ache que está sendo boa. Um engodo, no dizer popular.

Iremos até o fim em busca daquilo que a sociedade precisa saber. Nem que tenhamos que recorrer ao Pretório. O prefeito Allyson Bezerra não é o dono de Mossoró. Ocupante provisório do Palácio da Resistência, deveria dar exemplo e permitir que seus assessores repassem para a imprensa aquilo que ela busca e precisa, porque quem precisa é o povo, constituindo-se, pois, muitas vezes como única voz a defendê-lo.

Uma gestão moderna, tecnológica e eficiente como a que ele diz executar, não deveria ter tanta dificuldade em repassar informações simples aos órgãos de comunicação. Com tantos predicados, só podemos imaginar que se trata de má vontade com a população. Ou então, podemos questionar: não há planejamento na gestão? Não há descentralização? Não há transparência?

Fazer com que os assessores ajam com contorcionismos é humilhante. Ultrajante. Infelizmente, a gestão não publiciza seus atos nem com os órgãos de comunicação supostamente “amigos” do poder. É preciso que Mossoró questione: o que a gestão Allyson Bezerra tenta tanto esconder? Na Mossoró digital de Allyson, a transparência parece andar em carro de boi.

 

* Professor e jornalista

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

Ipespe mostra Lula com 44% dos votos e chances de vencer no primeiro turno

Mais uma pesquisa coloca o ex-presidente Lula na liderança absoluta da corrida presidencial de 2022. Levantamento do Instituto de Pesquisas, Sociais, Politicas e Economicas (Ipespe) aponta que o petista tem 44% das intenções de voto, e com chances de vencer a disputa já no primeiro turno.

Na sequência aparecem Jair Bolsonaro (PL), com 24%, Sergio Moro (Podemos), com 9%, Ciro Gomes (PDT), com 7%, João Doria (PSDB), com 2%, Simone Tebet (MDB), Rodrigo Pacheco (PSD) e Felipe D’Avila (Novo), com 1%.

A pesquisa ainda traça outro cenário, sem Moro e com Alessandro Vieira (Cidadania).

Em caso de segunda turno, Lula vence em todos os cenários. Contra Bolsonaro, segundo colocado na pesquisa, o petista tem 56% ante 31%. Contra o ex-juiz Moro, Lula tem 51% ante 32%.

O levantamento foi realizado entre 10 e 12 de janeiro de 2022 com 1.000 entrevistados ouvidos por telefone por meio do Sistema CAT/IPESPE. A margem de erro máximo estimada é de 3.2 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95,5%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-09080/2022.

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

Agência bancária é desinfectada após detecção de covid entre funcionários

O prédio do Banco do Brasil em Mossoró que abriga várias agências, e fica localizado à Praça Vigário Antônio Joaquim, passou por processo de desinfecção hoje nesta manhã de sexta-feira, dia 14/1.

O processo se deu em virtude da detecção de casos de covid-19 entre funcionários de algumas agências.

O Sindicato recebeu pedidos de providências urgentes, momento a partir do qual os diretores mantiveram contato com os gestores e solicitaram execução das medidas protocolares sanitárias acordadas entre o banco e o movimento sindical.

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

Médico perito é condenado por fraudar o INSS  

O Ministério Público Federal (MPF) obteve a condenação do médico perito do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) Antônio Carlos Barbosa por fraudar informações com objetivo de conceder benefícios irregulares. Ele foi condenado pelo chamado estelionato majorado a sete anos, três meses e três dias de reclusão, à perda do cargo público, além do pagamento de multa. O MPF, porém, já recorreu buscando aumentar a pena por meio da condenação pelo chamado peculato eletrônico.

Em outubro de 2008, na cidade de Santo Antônio, interior do Rio Grande do Norte, Antônio Carlos inseriu no banco de dados do INSS a informação falsa de que Maria José Honório seria portadora de colite ulcerativa, para ela ter acesso ilegalmente ao Amparo Social de Pessoa Portadora de Deficiência. O perito forneceu ainda um atestado falso declarando que Maria Josilene Honório de Goes (filha de Maria José) seria portadora de transtornos comportamentais e doença cardiocirculatória e incluiu esses dados no sistema, garantindo a ela – irregularmente – o direito ao benefício de prestação continuada da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas).

As pacientes confessaram não possuírem os supostos problemas de saúde que levaram ao recebimento dos benefícios e já foram, inclusive, condenadas dentro da Ação Penal 0805631-03.2018.4.05.8400. O próprio médico já possui condenação por peculato eletrônico e associação criminosa em outra ação do MPF. Nesse caso, o perito havia se associado a outros envolvidos, pelo menos entre março de 2010 e agosto de 2011, para cometer reiterados crimes contra o INSS, fraudando benefícios previdenciários em troca de propina.

Peculato – Apesar da sentença condenatória, de autoria do juiz federal Francisco Eduardo Guimarães, o procurador da República Fernando Rocha decidiu apresentar recurso em nome do MPF, para que Antônio Carlos seja condenado pelo crime conhecido como “peculato eletrônico”, mais específico e que prevê reclusão de dois a doze anos – o estelionato majorado prevê reclusão de um a cinco anos, tendo chegado a mais de sete devido aos agravantes e por ter sido praticado duas vezes.

O representante do MPF aponta que, enquanto o crime de estelionato é delito comum, “não exigindo qualquer qualidade especial” de quem o pratica, o peculato eletrônico prevê sua autoria específica por funcionário público autorizado a manejar os respectivos sistemas informacionais, como no caso da ação. “É substancialmente mais grave a conduta do sujeito ativo que, valendo-se de seu cargo público, concorre para a violação do patrimônio público”, entende.

O procurador discorda da absorção do crime de peculato pelo de estelionato, conforme decidido pelo magistrado. Para Fernando Rocha, a inserção de dados falsos em sistemas de informação é mais grave que o estelionato, “razão pela qual, se houvesse de ser reconhecida a absorção (de um crime pelo outro), o estelionato é que teria de ser absorvido”.

Somado a isso, ele acrescenta que o crime de peculato só poderia ser absorvido pelo de estelionato se o segundo só pudesse ser praticado necessariamente a partir da prática do primeiro. No entanto, a realidade é o inverso, o peculato eletrônico é que é precedido por alguma forma de falsificação (estelionato). Esse mesmo entendimento já teve o Tribunal Regional Federal da 5ª Região, nos autos da outra ação penal (0802520-45.2017.4.05.8400), a que respondeu o médico.

O atual processo tramita na Justiça Federal sob o número 0807594-12.2019.4.05.8400. O réu poderá responder em liberdade, pois ainda cabem recursos, mas caso seja mantida a pena e o processo transite em julgado, começará a cumpri-la em regime semiaberto.

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

Veja municípios do RN onde choveu nas últimas horas

Choveu em 98 municípios potiguares nas últimas horas. Os dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) apontam que a cidade com maior volume de chuvas foi registrado em Parelhas, com 81.2 milímetros.

A região com maior número de cidades com precipitações foi o Oeste, com 54. Nessa região, o município com maior índice pluviométrico foi Umarizal, com 75 mm. Os dados se referem ao período das 18hda quarta-feira, 12/1 às 18h da quinta-feira, 13/1.

 

Agreste

  1. João Câmara – 14.3
  2. Japi – 9.4
  3. Poço Branco – 7.2
  4. Parazinho – 5.6
  5. Monte das Gameleiras – 1.2
  6. Ielmo Marinho – 1.0
  7. Boa Saúde – 0.6
  8. Lagoa d’Anta – 0.2

 

Região Central

  1. Parelhas – 81.2
  2. Santana do Seridó – 31.0
  3. Caicó – 27.6
  4. Timbaúba dos Batistas – 25.8
  5. Santana do Matos – 22.6
  6. Caiçara do Rio do Vento – 22.0
  7. Pedro Avelino – 21.3
  8. Jardim do Seridó – 16.5
  9. Acari – 14.6
  10. Jardim do Seridó – 13.6
  11. Guamaré – 12.6
  12. São José do Seridó – 12.0
  13. Florânia – 9.2
  14. Fernando Pedroza – 8.2
  15. São João do Sabugi – 7.5
  16. Lajes – 6.8
  17. São João do Sabugi – 6.2
  18. Angicos – 4.4
  19. São José do Seridó – 4.3
  20. Pedro Avelino – 3.8
  21. Cruzeta – 2.2
  22. Ouro Branco – 1.8
  23. Tenente Laurentino Cruz – 1.6
  24. Ipueira – 1.2
  25. Currais Novos – 0.8
  26. Florânia – 0.6
  27. Cerro Corá – 0.4
  28. Currais Novos – 0.4
  29. São José do Seridó – 0.4
  30. Serra Negra do Norte – 0.2

 

Leste

  1. Pureza – 16.0
  2. Vila Flor – 10.2
  3. Pedro Velho – 5.6
  4. Arez – 2.2
  5. Montanhas – 0.6
  6. Extremoz – 0.2
  7. Touros – 0.2

 

Oeste

  1. Umarizal – 75.0
  2. Umarizal – 56.0
  3. Riacho da Cruz – 54.0
  4. Itaú – 41.4
  5. Rafael Fernandes – 39.8
  6. Campo Grande – 38.5
  7. Francisco Dantas – 38.0
  8. Rafael Godeiro – 30.5
  9. Major Sales – 27.1
  10. São Francisco do Oeste – 27.0
  11. Alexandria – 26.8
  12. Patu – 26.8
  13. Francisco Dantas – 26.0
  14. Severiano Melo – 25.6
  15. Rodolfo Fernandes – 23.0
  16. Pendências – 20.4
  17. Antônio Martins – 19.0
  18. João Dias – 18.5
  19. Antônio Martins – 18.4
  20. Viçosa – 17.8
  21. Luís Gomes – 17.0
  22. Tenente Ananias – 16.0
  23. Taboleiro Grande – 12.4
  24. Almino Afonso – 11.4
  25. Lucrécia – 11.2
  26. Itajá – 11.0
  27. Olho d’Água do Borges – 11.0
  28. Portalegre – 10.8
  29. Coronel João Pessoa – 10.5
  30. Alto do Rodrigues – 10.0
  31. José da Penha – 9.9
  32. José da Penha – 9.8
  33. Olho d’Água do Borges – 9.8
  34. Porto do Mangue – 9.2
  35. Jucurutu – 8.6
  36. Porto do Mangue – 8.5
  37. Baraúna – 8.4
  38. Pau dos Ferros – 8.0
  39. Areia Branca – 7.8
  40. Carnaubais – 7.6
  41. Martins – 7.0
  42. Jucurutu – 5.7
  43. Coronel João Pessoa – 5.6
  44. Alto do Rodrigues – 4.8
  45. Grossos – 3.8
  46. Encanto – 3.2
  47. Triunfo Potiguar – 2.6
  48. Venha-Ver – 1.4
  49. Mossoró – 1.0
  50. Serrinha dos Pintos – 0.8
  51. Caraúbas – 0.7
  52. Caraúbas – 0.6
  53. Serra do Mel – 0.2

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

INSS suspende temporariamente perícias médicas 

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) suspendeu temporariamente a realização de perícias médicas do Programa de Revisão de Benefícios por Incapacidade. As perícias são necessárias para revisão do benefício por incapacidade temporária, antigo auxílio-doença. A suspensão se deu em virtude do aumento de casos de covid-19 no país.

A suspensão vale para perícias marcadas desde o dia 12 de janeiro deste ano. A portaria conjunta do INSS e do Ministério do Trabalho foi publicada nesta quinta-feira (13/1). Segundo o ministério, as perícias suspensas serão remarcadas para o segundo semestre, e o INSS comunicará aos segurados a nova data.

Os segurados afetados pela suspensão das perícias continuarão recebendo os benefícios normalmente.

A portaria manteve o atendimento para os casos de mutirões de realização de perícia médica que já estavam previamente programados e com viagens definidas no âmbito da Subsecretaria da Perícia Médica Federal.

O Brasil vem registrando uma curva acentuada no aumento dos casos de covid-19. Dados quarta (12/1) do Ministério da Saúde registrou 87.471 casos de covid-19 em apenas 24 horas (https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2022-01/covid-19-brasil-tem-874-mil-casos-e-133-mortes-em-24-horas). Há uma semana (5), o número de diagnósticos positivos foi 27.267, três vezes menor do que o registrado na quarta-feira. Já o último dia de 2021 registrou 10.282 casos de covid-19 no Brasil em 24 horas. (Agência Brasil)

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

Medidores de pressão arterial e bombas de combustível lideraram erros em 2021 no RN

O Instituto de Pesos e Medidas do Rio Grande do Norte (IPEM/RN), órgão delegado do Inmetro, realizou, de janeiro a dezembro de 2021, mais de 45 mil verificações em bombas de combustíveis, sistema de medição de GNV, balanças, esfigmomanômetros (medidores de pressão arterial), radares e cronotacógrafos. Além de produtos pré-medidos e produtos certificados com o selo do Inmetro como: brinquedos, extintores de incêndio, fios e cabos elétricos, materiais escolares, eletrodomésticos, produtos têxteis, entre outros.

No total foram 45.036 itens fiscalizados divididos em 10569 cronotacógrafos, 6709 balanças, 5043 bombas de combustíveis, 2181 taxímetros, 720 esfigmomanômetros (medidores de pressão arterial), 524 medidas de volume, 295 medidores de velocidade (radares eletrônicos), 170 sistemas de medição de GNV, entre outros.

Dentre os instrumentos verificados o que apresentou mais diferença em relação aos requisitos exigidos pelo Inmetro foram os esfigmomanômetros com irregularidades em 80 deles, o que equivale a cerca de 11% das verificações. O segundo item com mais erros foram as bombas de combustíveis que apresentaram diferenças nas medições em 316, o que representa 3,7% dos instrumentos fiscalizados.

“Em 2021 fizemos uma força-tarefa para retomar e tentar regularizar as fiscalizações prejudicadas pela pandemia. Percorremos todas as regiões do Rio Grande do Norte em busca de garantir e promover uma justa concorrência e a proteção dos cidadãos em suas relações de consumo”, afirma o diretor-geral do IPEM/RN, Theodorico Bezerra Netto.

Para obter mais informações sobre as fiscalizações ou denunciar alguma irregularidade o consumidor pode entrar em contato com a Ouvidoria do IPEM/RN pelo telefone 0800 281 4054, com ligação gratuita; pelo e-mail ouvidoriaipem.rn@gmail.com ou pelo whatsapp (84) 3222.9079 e 98147-9433.

 

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com