nabocadanoite.com.br
Seja bem vindo
Sábado é Dia D da imunização contra poliomielite e Multivacinação

Alcançar a cobertura vacinal igual ou maior que 95% para a vacina poliomielite na faixa etária de um a menores de 5 anos de idade, além de reduzir o número de não vacinados de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade e melhorar as coberturas vacinais, conforme o Calendário Nacional de Vacinação. Esses são os objetivos do dia D de mobilização nacional que envolverá os 167 municípios do Estado do Rio Grande do Norte e acontece no próximo sábado, dia 20 de agosto.
Para a campanha contra a poliomielite o grupo-alvo são as crianças menores de cinco anos de idade, totalizando 229.282 crianças no RN. No dia D, os postos de vacinação devem abrir das 8h até as 17h. A campanha segue até 9 de setembro de 2022. A adoção da estratégia de multivacinação se justifica diante do cenário de baixas coberturas vacinais e a reintrodução do sarampo, além do risco da reintrodução da poliomielite e aumento de casos de doenças até então controladas.
“A mobilização é fundamental para que os responsáveis levem seus filhos aos postos de saúde e garantam a proteção das crianças, para que doenças já erradicadas não voltem para o país”, disse Laiane Graziela, coordenadora do Programa de Imunização da Sesap.

 

Ministério da Saúde autoriza vacinação de crianças, mas não manda vacinas para o RN

O Ministério da Saúde (MS) autorizou a aplicação da covid em crianças de 3 a 4 anos contra a covid. Apesar da liberação, o órgão “esqueceu” de algo fundamental: enviar as doses. Pelo menos foi o que aconteceu com o Rio Grande do Norte.

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap/RN) denuncia que o Ministério da Saúde não enviou o imunizante para o Estado potiguar. A Sesap divulgou nota fazendo a denúncia. Veja:

NOTA
Vacinação de crianças de 3 a 4 anos contra a covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) esclarece que a liberação, pelo Ministério da Saúde (MS), da vacinação de crianças de 3 a 4 anos com o imunizante coronavac ocorreu sem o envio de doses ao Rio Grande do Norte.
Para garantir o início da imunização deste público-alvo, a Sesap remanejou 10.100 doses para os municípios, com a orientação expressa de que aplicassem de modo a garantir a D2.
Apesar da orientação dada, alguns municípios zeraram o estoque a suspenderam a vacinação. A Sesap solicitou ao Ministério da Saúde o envio de novas doses da coronavac.

 

Biólogos afirmam que transmissão da varíola dos macacos não tem relação com o animal

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), por meio do Parque Estadual Dunas do Natal “Jornalista Luiz Maria Alves” esclarece que, apesar do nome, a “varíola dos macacos” nada tem a ver com os primatas. O esclarecimento foi dado pela Sociedade Brasileira de Primatologia e reforça que a doença, com casos confirmados no Rio Grande do Norte, é transmitida entre pessoas e não por macacos.

O biólogo e coordenador do setor de Fauna da Unidade de Conservação, Dhyego Melo, faz um apelo para que a população busque informações sobre a doença e não cometa maus tratos com os animais. O profissional ressalta que esses mamíferos não transmitem a varíola e não são reservatórios desse vírus.

“A falta de informação e de sensibilidade com os seres com que convivemos faz muito mal à sociedade. É importante que a população tenha plena consciência de que os macacos não são responsáveis pela existência do vírus e nem por sua transmissão a humanos. Eles precisam ser protegidos. A morte desses animais traz um enorme desequilíbrio ambiental, que não pode ser agravado pela ação do homem”, disse.

A varíola dos macacos é uma doença causada pelo vírus “Monkeypox”, pertencente à mesma família do vírus que causava a varíola – uma doença que foi extinta na década de 80. Com o avanço da varíola dos macacos no mundo, informações falsas têm circulado, e uma delas é que a matança dos primatas pode ajudar na erradicação da doença.

A gestora do Parque das Dunas, Mary Sorage, comenta que o medo do contágio por transmissão desta e de outras doenças, como a febre amarela, não se justifica.

“Na verdade, os primatas servem como sentinelas, já que muitas vezes adoecem antes e alertam para a presença e risco de uma doença que pode afetar também os humanos. O surto da doença não tem a participação de macacos na transmissão para seres humanos. Todas as transmissões identificadas até o momento pelas agências de saúde no mundo foram atribuídas à contaminação por transmissão entre pessoas”, disse.

Os biólogos do Idema solicitam que ao avistar algum macaco doente ou morto, as pessoas avisem aos órgãos de saúde do seu município.

As investigações epidemiológicas estão em andamento, mas o que sabemos é que entre humanos, o vírus da varíola dos macacos é transmitido por contato pessoal com secreções respiratórias, lesões de pele de infectados, fluidos corporais ou objetos recentemente contaminados.

Qual a importância dos macacos para o equilíbrio do meio ambiente?

Existem diversas espécies de macacos no mundo. Cada uma possui características, singularidades, importância para o equilíbrio ambiental, atuando efetivamente na dispersão de espécies vegetais e recuperação de florestas.

Os macacos sofrem diariamente com a destruição do seu habitat. O desmatamento, devido ao aumento da área agropecuária e uso da madeira, criação de estradas e aumento de cidades, a caça predatória ou a utilização como animais de estimação, também afeta esses mamíferos.

Como prevenir a varíola dos macacos?

– Evitar contato com pessoas infectadas ou suspeitas;

– Higienizar as mãos com frequência, com água e sabão ou álcool;

– Usar máscaras de proteção.

Confira novo boletim médico de Crispiniano Neto

A Fundação José Augusto (FJA) divulgou há pouco boletim médico sobre o quadro de saúde do diretor da entidade, Crispiniano Neto. Veja:

 

“Informamos que o Diretor-geral da FJA, Crispiniano Neto, após apresentar sensível melhora em seu quadro clínico, foi transferido na tarde desta segunda-feira (15) da UTI para a enfermaria do Hospital RIo Grande.
A equipe médica atestou estabilização da pressão arterial.
Crispiniano continuará sob avaliação até o recebimento da alta hospitalar”.

 

Agradecemos todas as manifestações para o reestabelecimento do diretor da Fundação José Augusto.

Assessoria de comunicação da FJA

Fundação José Augusto divulga nota sobre quadro de saúde de Crispiniano Neto

A Fundação José Augusto ( FJA) divulgou nota sobre o quadro de saúde de seu diretor, Crispiniano Neto, internado ontem após sentir-se mal.

Veja a nota

 

*NOTA*

O Diretor-Geral da Fundação josé Augusto (FJA), Crispiniano Neto foi internado no Hospital Rio Grande na última quinta feira (11) com uma crise de hipertensão que necessitou de monitoramento na UTI hospitalar para estabilizar a pressão arterial.
Informamos que o internamento nao ocorreu às pressas e que o diretor da FJA está plenamente consciente, sob tratamento, e aguardando a alta médica quando o quadro de saúde estiver estabilizado.

FUNDAÇÃO JOSÉ AUGUSTO

 

Secretário de Cultura do Rio Grande do Norte é Internado às pressas

O secretário de Cultura Joaquim Crispiniano Neto foi internado às pressas na tarde desta sexta feira 12 de Agosto.

Crispiniano estava no seu gabinete de trabalho na Fundação José Augusto quando se sentiu mal. Eleo foi levado às pressas para o Hospital Rio Grande que fica próximo a Fundação José Augusto.

No momento o quadro é estável mais precisa de muitos cuidados, a pressão está sendo controlada e o paciente ainda não pode receber visitas.

 

 

Saiba a importância da vacina contra a paralisia infantil

Começou na segunda-feira (8/8) a campanha de vacinação contra a poliomielite direcionada a crianças menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias).
E o declínio nos números da vacinação infantil preocupa autoridades e profissionais de Saúde no Brasil. Há pelo menos sete anos as metas de vacinação não têm sido atingidas no país. Isso gera temores, como a volta da poliomielite – também conhecida como paralisia infantil.
A avaliação é da médica infectologista Dra. Silvia Fonseca, do Sistema Hapvida. O registro de um caso de poliomielite nos Estados Unidos, na segunda quinzena de julho, ampliou o alerta. A doença é conhecida popularmente como paralisia infantil.
“No mundo, estão pipocando casos tanto de vírus selvagem como de vírus vacinal, que, se ocorre em uma pessoa não vacinada, pode dar paralisia. O Brasil tem tido problemas em vacinar 90% das crianças até 1 ano de idade, que é a meta das campanhas. O cenário é preocupante”, afirma a médica.
As causas da baixa procura passam pela desinformação e a falsa sensação de que doenças evitáveis por vacinas já acabaram. Até algumas décadas atrás, a paralisia gerada pela poliomielite era notada em pessoas com dificuldades nos movimentos, obrigando ao uso de muletas – por exemplo.
Também há fatores socioeconômicos. A desnutrição e a pobreza influenciam no cenário. “No Brasil, as vacinas são gratuitas e podem ser encontradas nas unidades de saúde. Precisamos ampliar a imunização”, defende a Dra. Silvia.
Maior declínio da imunização no mundo – Estudo da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Unicef, publicado no final de julho, aponta que o mundo passa pelo maior declínio de vacinação infantil nos últimos 30 anos. A baixa cobertura de imunização se mostra mais prejudicial para crianças.
A lista de doenças inclui varicela, sarampo, caxumba, rubéola, coqueluche, febre amarela e tuberculose. Já a poliomielite afeta comumente crianças menores de 5 anos. Altamente contagioso, o vírus ataca o sistema nervoso e pode levar à paralisia dos membros.
A transmissão ocorre por contato entre pessoas, por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes. Também pode ser transmitida por meio de gotículas de secreções, comuns quando falamos ou espirramos. Há registro de casos em que o vírus se originou de uma pessoa que não tinha sintomas da doença.
Esses sintomas são semelhantes aos da gripe, como dor de garganta, febre, cansaço, náusea e dor de cabeça. Em casos graves, gera a morte do paciente em poucas horas, pois dificulta a respiração. “Procurar atendimento rapidamente é fundamental”, completa Dra. Silvia.

Campanha nacional de vacinação contra a pólio e atualização da caderneta iniciam nesta segunda-feira

 

Hoje inicia a Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente. A campanha segue até 9 de setembro de 2022, sendo 20 de agosto o dia “D” de divulgação e mobilização nacional.

A expectativa é alcançar a cobertura vacinal de no mínimo 95% das crianças de 1 a menores de 5 anos de idade contra a poliomielite, além de reduzir o número de não vacinados de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade e melhorar as coberturas vacinais, conforme o Calendário Nacional de Vacinação.

“O Brasil se encontra hoje com alto risco de reintrodução da doença poliomielite, relacionado principalmente às baixas coberturas vacinais. Dessa forma, é importante que a população vacine suas crianças e adolescentes para que não tenhamos o retorno desta doença que causa paralisias irreversíveis e fatais”, disse Laiane Graziela, coordenadora do Programa de Imunização da SESAP.

De acordo com o Ministério da Saúde as coberturas vacinais seguem em um processo de queda nos últimos anos e, desde 2019, nenhuma vacina do calendário da criança atingiu a meta preconizada. A adoção da estratégia de multivacinação se justifica diante do cenário de baixas coberturas vacinais e a reintrodução do sarampo, além do risco da reintrodução da poliomielite e aumento de casos de doenças até então controladas.

A exemplo do que ocorre em todo o Brasil, no RN a cobertura vacinal para as crianças vem ficando abaixo dos 90% preconizados pelo Ministério da Saúde. Para a BCG em 2021, foram vacinadas 81,7% das crianças menores de 1 ano; em 2022 este número está em 65,58%. Para a poliomielite o percentual de crianças vacinadas em 2021 foi de 69,88% e, em 2022, apenas 36,34%. Em relação a Campanha contra o Sarampo realizada no ano de 2022, cuja meta era vacinar, de forma indiscriminada, todas as crianças de 6 meses a menores de 4 anos, mesmo aquelas já vacinadas, o alcance da vacinação foi de 34,16% deste público.

“Enfatizamos que estar vacinado, pode significar a diferença entre estar vivo e saudável ou gravemente enfermo(a) ou com sequelas deixadas por doenças imunopreveníveis”, finaliza a coordenadora.

*Confira as vacinas da Campanha de Multivacinação:*

Vacinas do Calendário da Criança até os sete anos de idade: BCG, Hepatite B, PENTA (DTP/Hib/ HB), Polio, Rotavírus, Pneumocócica 10 valente (Conjugada), Meningocócica C (Conjugada), Febre amarela, Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola- SCR), Tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela-SCRV), DTP, Hepatite A, Varicela.

Vacinas do Calendário da Criança a partir dos sete anos de idade e do Adolescente: Hepatite B, Febre amarela, Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola-SCR), Difteria e tétano adulto, dTpa, Meningocócica ACWY (Conjugada), Meningocócica C (Conjugada), HPV
quadrivalente, Varicela.

 

II Ursap discute estratégias para Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e da Campanha Nacional de Multivacinação

A Segunda Unidade Regional de Saúde Pública (II URSAP), por meio do Programa Regional de Imunizações realizou terça-feira (2/8) uma reunião para discutir as estratégias da Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente que será realizada entre 8 de agosto e 9 de setembro. O Dia D de divulgação e mobilização nacional será em 20 de agosto.

A reunião foi direcionada aos profissionais de enfermagem e técnicos da sala de vacina. Participaram 23 municípios. Presentes ao evento a coordenadora da Equipe Técnica da II URSAP, Maria da Saudade de Azevedo, técnicos do Programa de Imunização da II Ursap, Jorge Mota, kyvia Maia, Lucinete Almeida e Odete Oliveira e o coordenador do Programa Municipal de Imunizações da Prefeitura Municipal de Mossoró, Etevaldo Lima.

“O objetivo da campanha é alcançar cobertura vacinal igual ou maior que 95% para a vacina poliomielite na faixa etária de um a menores de 5 anos de idade, além de reduzir o número de não vacinados de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade e melhorar as coberturas vacinais, conforme o Calendário Nacional de Vacinação”, disse a coordenadora da Equipe Técnica da II Ursap, Maria da Saudade de Azevedo.
A adoção da estratégia de multivacinação se justifica diante do cenário de baixas coberturas vacinais e a reintrodução do sarampo, além do risco da reintrodução da poliomielite e aumento de casos de doenças até então controladas.
A II URSAP destaca que o engajamento da população é fundamental para o Brasil se manter livre de doenças que podem levar à morte ou deixar sequelas. Compareça às Unidades Básicas de Saúde (UBS). Vacinar é um ato de carinho.

 

 

Unimed Natal promove ações de incentivo à amamentação no Agosto Dourado

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Unicef, cerca de 6 milhões de vidas são salvas anualmente pelo aumento na adesão à amamentação exclusiva até o sexto mês de idade. E é para incentivar o aleitamento materno, que representa o padrão ouro de qualidade nutricional, que foi criado o Agosto Dourado, cuja Semana Mundial de Aleitamento Materno é celebrada a partir do dia primeiro (01/08).

Atenta à importância desse trabalho de conscientização, a Unimed Natal, por meio das equipes do Hospital Unimed Natal e do Espaço Viver Bem, com apoio da Secretaria de Saúde do RN, preparou uma programação especial. A proposta é levar informação, com fontes qualificadas, para ampliar o engajamento das mulheres na amamentação exclusiva.

Já na segunda-feira (1), a partir das 13h, será realizada uma transmissão ao vivo para todos os públicos, pelo instagram @unimednatal, com a médica pediatra Dra. Marizete Gurgel, falando sobre como “Fortalecer a amamentação: educando e apoiando.”

Na terça-feira (2), no Átrio do Hospital Unimed, às 9h30, é a vez do lançamento da campanha para os colaboradores. Na sexta-feira (5), às 15h, e na terça-feira da semana seguinte, dia 9 de agosto, às 9h, o “Aconselhamento da Puérpera e o Manejo da Ordenha” será tema das palestras para enfermeiros, técnicos e colaboradores da cooperativa, no auditório da sede administrativa II (Av. Senador Salgado Filho , 1627, na esquina com a Av. Antônio Basílio).

Para coroar o Agosto Dourado, no Parque das Dunas, sábado (13), a partir das 9h, será realizado o “Amamentaço”, que tem como objetivo chamar atenção para a importância do ato na saúde dos pequenos. Na ocasião, a equipe do Hospital da Unimed promoverá oficinas de culinária criativa, exercícios para gestantes e muito mais.