O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) finalizou mais um mês com a produção positiva no licenciamento ambiental do Rio Grande do Norte. Segundo levantamento feito pela equipe do Cerberus, sistema que gerencia o licenciamento do órgão, apontou que 356 licenças foram concluídas ao final do mês de agosto, e 578 novos processos foram formados no órgão ambiental. Além disso, também foram emitidas 24 autorizações de flora e 22 autorizações de fauna.

Sobre o contínuo crescimento desse número, o diretor técnico do Idema, Werner Farkatt, falou sobre os mecanismos administrativos, investimentos no campo tecnológico e modernização para dar mais celeridade às análises dos processos e emissão de licenças ambientais. “Enquanto diretor técnico gostaria de parabenizar a equipe do Idema que não mede esforços para alcançar as metas. Cada colaborador demonstra, diariamente, ser um elemento valioso e indispensável nesta conquista”, disse.

Para o assessor técnico do Idema, Josivan do Nascimento, “temos supervisores de setores de Licenciamento, desde o início da gestão, dedicados, experientes, qualificados e comprometidos. Os setores de apoio também merecem destaque neste momento, como o de Geoprocessamento e do Cadastro Ambiental Rural (CAR), que têm atuado fortemente para auxiliar em nossas análises”, comentou o assessor.

O chefe da Central de Atendimento (CAT), Geyson Galvão, comemora o saldo positivo do último mês, mas afirma que ainda há muito que ser feito nos próximos. “No âmbito dos processos formados, os quais competem exclusivamente à Central de Atendimento do órgão, em nome de toda a equipe, agradeço o reconhecimento e parabenizo o empenho da equipe. Essa é mais uma conquista de todo o Idema. O mês de setembro chegou e com ele muitos desafios virão e muitas realizações também. Seguiremos firmes e motivados”, comentou Geyson.

Segundo o diretor-geral do Idema, Leon Aguiar, a gestão continua reforçando medidas com responsabilidade e seriedade no intuito de atrair investidores e fortalecer a economia do Estado: segurança jurídica, transparência, trabalho integrado, informação, metas, revisão de procedimentos, são algumas das medidas adotadas.  “O Instituto conduz de forma criteriosa o licenciamento ambiental dos processos que chegam ao órgão, estudos e relatórios específicos de impacto ambiental, mas tendo entre as premissas o diálogo com o empreendedor, com os pequenos produtores, investidores, aliando o desenvolvimento econômico e sustentável do Rio Grande do Norte”, finalizou o diretor-geral.

Ainda de acordo com Leon Aguiar, a abertura de novos processos também demonstra a retomada econômica de diversos setores da economia, o que é também um indicador muito positivo para o Estado.

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

De Volta ao Topo