É precária, perigosa e vergonhosa a situação do imóvel que abriga o consultório médico do projeto de assentamento Favela. “Não sei como vem uma equipe médica pra cá e mandam para aquele prédio, que sequer tem energia elétrica, é uma verdadeira ruína”, denuncia Lindomar de Paula, morador do local.

Ele relata que na comunidade não tem agente de saúde, vindo um profissional do assentamento Mulunguzinho e que junto com a médica vão ao assentamento duas enfermeiras e que são obrigadas a desenvolver suas atividades nesse local insalubre e inseguro.

A médica atende apenas uma vez por semana e de acordo com moradores, não dá para atender a toda a demanda da comunidade. “É muita gente para ser atendido. Um atendimento por semana é pouco”, finaliza.

O Blog Na Boca da Noite questionou a prefeitura de Mossoró sobre o assunto. Até o fechamento desta matéria, 13h40, não havíamos recebido retorno.

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

De Volta ao Topo