*Abdias Duque de Abrantes

Nos dias 14/11/2023 às 14 horas e 17/11/2023 às 9 horas, a convite da Fundação Nacional dos Povos /Indígenas (FUNAI), na pessoa de Thiago Anacé, Coordenador Regional Nordeste II da FUNAI, técnicos da II URSAP, SESAP e Hospital da Mulher parteira Maria Correia, participaram de dois encontros estratégicos com o objetivo de realizar um diálogo com a equipe técnica da UBS SInharinha Borges, e reunião interinstitucional referente à promoção e à proteção de direitos do Povo Indígena Warao em Mossoró – RN, esta última aconteceu na UERN.

No primeiro momento estiveram presentes da II Unidade de Saúde Pública (URSAP), a gerente Emiliana Bezerra Cavalcanti, e a Assistente Social Kleylenda Linhares, Referência Técnica da Atenção Primaria à Saúde (APS); bem como técnicos da SESAP a saber, Miranice Nunes Diretora de Políticas Intersetoriais e Promoção à Saúde, e Uiacy Alencar, responsável pelas políticas de equidade, entre outros técnicos.

A assistente Social Lívia do Hospital da Mulher também esteve presente, além dos Técnicos da FUNAI, Thiago Inacé e Renata, alguns representantes do Povo Warao, como o Senhor Librando; profissionais da UBS, entre outras representações. A mesma tinha por objetivo a realização de diálogo presencial com a equipe de profissionais da UBS, na perspectiva de fortalecer um trabalho em rede voltado à promoção e à proteção de direitos de tais núcleos familiares.

Na reunião foi colocada a real situação de vida e de Saúde da população indígena venezuelana Warao que residem na cidade de Mossoró, a qual é composta por cerca de 43 pessoas, um total de nove famílias.

O coordenador regional da Funai, Thiago Anacé abordou inicialmente o contexto social e cultural que estes povos estavam submetidos em seus territórios e o processo de migração vivido por eles. A agente de Saúde Eva Lígia colocou as principais processos de saúde e doença dessa população, desde os aspectos de necessidade de moradia, alimentação, trabalho. Também foi abordado as principais doenças vividas no momento por esta população e a importância de todos os entes governamentais, de modo intersetorial desenvolverem ações que possam promover melhor qualidade de vida para essa população.

No segundo momento, dia 17/11/2023, a reunião foi ampliada a outros órgãos institucionais, pois por objetivo realizar esse encontro interinstitucional a fim de discutir sobre à promoção e a proteção de direitos do Povo Indígena Warao, e a partir da apresentação da realidade dessa população cada ente conseguir identificar quais as principais ações deveriam ser desenvolvidas para à qualidade de vida e de saúde dessa população.

Foram realizadas diversas pactuações que abrangem diversos entes, desde Secretarias de Educação, assistência Social e de Saúde do município de Mossoró, bem como Secretaria Estadual de Saúde e Educação, Defensoria Pública, entre outros.

No que concerne a II URSAP e a SESAP foi encaminhado a necessidade de diálogo, junto ao Ministério da Saúde a fim de que seja incluída nos principais Sistemas de informação Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), a saber, SISAB, SINASC, SIM, PEC, no contexto da identificação da população a nomenclatura Warao para que estes possam ser identificados no âmbito do SUS, enquanto população que utiliza os serviços e para que o financiamento possa chegar a gestão local dos serviços de saúde que atendem os mesmos.

A assistente social da II URSAP Kleylenda Linhares, destaca que “foram dois momentos muito importantes nos quais foram realizados encaminhamentos fundamentais para a permanência desta população que já reside há cerca de cinco anos na cidade de Mossoró e precisa dispor de condições necessárias para manutenção da vida e da saúde desse povo; pois os Warao têm muito a nos ensinar com sua cultura de vida, seu modo de viver, os processos de adoecimento e de saúde também. Assim, esperamos que todas as pactuações realizadas sejam realmente efetivadas, para que este povo tenha sua cultura, vida e saúde preservada”.

Os Warao são um povo originário da República Bolivariana da Venezuela, que, conforme as estatísticas oficiais mais recentes (Censo de 2011),
constituem a segunda etnia mais populosa do país, com cerca de 49 mil indivíduos.
Falam a língua homônima, pertencente a uma família lnguística isolada, e espanhol em
níveis variados de fluência.

*Abdias Duque de Abrantes*
Assessor de Comunicação Social da II URSAP

 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

De Volta ao Topo