Presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil), o deputado Professor Israel Batista (PV-DF) avaliou ao Congresso em Foco que o movimento de última hora de mudar membros da comissão especial que aprovou a reforma administrativa (PEC 32/2020) evidencia que o governo ainda está distante de conseguir os 308 votos necessários para aprovar o texto em plenário.

O deputado cita haver um “divórcio” entre os líderes e os membros das bancadas partidárias. Assim, para os próximos dias, as frentes contra a PEC 32 devem se dedicar a fazer esse “corpo a corpo” com os parlamentares e ainda mobilizar as categorias do serviço público. Diversas manifestações estão previstas para todo o país.

“O governo quer agradar a todos, não quer que o presidente Jair Bolsonaro seja vinculado à reforma que o próprio governo está patrocinando. É muito fácil membros do governo, inclusive ministros, virem a público dizer que o presidente Bolsonaro, pessoalmente, é contra e o governo ficar fazendo esse jogo duplo”, critica o deputado.

Na linha do que disse o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-PI), ao jornal Valor Econômico, o presidente da Servir Brasil reitera que o tema só será pautado em plenário quando tiver os votos necessários para a aprovação. O deputado professor Israel afirma que, com a PEC em plenário, há chances inclusive de ser aprovada a inclusão dos membros do Judiciário na reforma. (Congresso em Foco)

 

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

De Volta ao Topo