O comerciante Alberan de Freitas Epifânio, acusado de amarrar, torturar e espancar um quilombola no município de Portalegre, já responde a um processo por injúria racial.

Consta em denúncia, assinada pela promotora de Justiça Patrícia Nunes Martins, e aceita pelo juiz Edilson Chaves Freitas, que no dia 26 de junho de 2020 o comerciante se envolveu numa discussão com Saulo Mikael Vieira Rocha, oportunidade em que teria proferido frases racistas, inclusive com o uso de termos de baixo calão.

“Nego safado”, “Suma do meu comércio que nem de nego eu gosto” e “Você é um nego bosta”, são algumas das falas racistas proferidas por Alberan Freitas.

A conduta foi tipificada pela promotora de Justiça como injúria racial e a denúncia foi recebida pelo juiz Edilson Chaves de Freitas no último dia 21 de junho deste ano, conforme consta na última movimentação do processo, cujo número é 0800110-72.2021.8.20.5150.

Comerciante Alberan Freitas teria amarrado, torturado e espancado negro quilombola

 

Veja aqui o recebimento da denúncia

Nosso e-mail: redacaobocadanoite@gmail.com

 

 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

De Volta ao Topo