As buscas a Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Andrade, que fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró na quarta-feira, 14/2, chegam hoje (22/2) ao nono dia, marcadas ainda pelo insucesso e pelo desencontro de informações.

Até agora, a maioria das informações, sobretudo aquelas ligadas relacionadas aos cercos aos fugitivos, seguem desencontradas e sem desfecho. Além de o sigilo ser fundamental para o êxito desse tipo de operação, um fato, porém, ajuda a explicar o volume de informações sem confirmação: a falta de um núcleo de comunicação das forças de segurança.

Até agora, apenas a Polícia Rodoviária Federal tem se comunicado quase diariamente com a imprensa, oferecendo informações e imagens do trabalho realizado. Fora, isso, o que tem chegado à população é fruto do esforço dos órgãos de comunicação em tentar atualizar a sociedade sobre os fatos.

Ontem, por exemplo, policiais envolvidos na operação estiveram na Rua da Vara, em Baraúna. Informações extraoficiais dão conta de que a atividade policial visou prender um homem que teria ajudado, com ferramentas, os dois fugitivos. Até agora, as forças de segurança não confirmaram nem negaram.

 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

De Volta ao Topo