É tocante o esforço discursivo da gestão Allyson Bezerra (União Brasil) para vender a imagem de que é honesta e transparente. A narrativa não convence porque o que se vê na prática é muito diferente daquilo que se diz.

A primeira suspeita que recaiu sobre a gestão eclodiu em março de 2021, quando se soube de um contrato de R$ 24 milhões com a Sama. Até hoje ninguém sabe como está sendo a contrapartida da empresa que embolsou essa montanha de dinheiro.

A gestão municipal também nunca explicou porque aumentou em quase R$ 500 mil ao valor da obra de reforma do corredor cultural depois que os serviços já tinham terminado.

Outro escândalo que explodiu na gestão Allyson Bezerra foi quando se descobriu que o prefeito tinha assinado contrato de 13 milhões de reais apenas para que uma empresa servisse buffet à prefeitura.

Há suspeitas sobre repasse de milhões à empresa de transporte Cidade do Sol. Também não se sabe o custo-benefício do contrato de R$ 15 milhões com a empresa que aplica multas em Mossoró.

Outro fato que chamou a atenção foi o gasto exagerado na compra de equipamentos de ar-condicionado, adquiridos em número muito superior à necessidade.

O aluguel de veículos também chamou a atenção por ter sido pago valor muito elevado. Foram pagos quase R$ 10 milhões com a locação de veículos. Somente a renovação, ano passado, foi a um custo de quase R$ 3 milhões.

Entre os muitos escândalos, um dos mais rumorosos foi o da licitação fraudulenta ganha pela São Tomé Distribuidora. A prefeitura fez de tudo para encobrir que a licitação tinha problemas e, diante das evidências e das revelações feitas pela imprensa, notadamente o Boca da Noite, foi obrigada a cancelar o procedimento. Foi decisivo para tanto o trabalho dos vereadores Tony Fernandes, Paulo Igo e Omar Nogueira que foram a Monte Alegre e provaram, como a imprensa vinha noticiando, que a São Tomé Distribuidora não existe. Ou pelo menos não tem sede no endereço apresentado à prefeitura.

A compra superfaturada (e bote superfaturamento nisso) de jardineiras é outro escândalo muito vivo na memória dos mossoroenses. A gestão Allyson Bezerra silenciou sobre o fato, gravíssimo, registre-se. O prefeito não deu explicações para o pagamento de mais de R$ 30 milhões em honorários a um escritório de advocacia de Natal, mesmo tendo uma Procuradoria numerosa e competente.

Agora, mais dois escândalos habitam o Palácio da Resistência. A acusação de que a gestão Allyson Bezerra teria fraudado a o processo de municipalização do Nogueirão. Aliás, suspeitas de fraude também tem sido recorrentes na atual gestão.  Agora, há ainda a constatação de que o secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, Kadson Eduardo tem condenação pro falsidade ideológica e, portanto, não deveria sequer estar na gestão pública municipal.

Todos os desdobramentos dessa ilegalidade de Kadson Eduardo podem ser acompanhados em ampla e cuidadosa cobertura no www.bocadanoite.com.br,  com as consequências dessa ilegalidade, inclusive a notícia da exoneração de Kadson.

 
 
 

One thought on “A incrível vocação da gestão Allyson Bezerra para se envolver em escândalos; veja lista

  1. Vai devagarinho caminhando para sua queda fenomenal. De camarote, vendo o cico montado pegar fogo. Não sobrará nem as cinzas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

De Volta ao Topo